Menção Honrosa "José de Jesus"

José de Jesus

José de Jesus

José de Jesus nasceu a 10 de Março de 1945, no lugar de Carreira de Cima freguesia de Souto da Carpalhosa Concelho e Distrito de Leiria.
Nasceu no seio de uma família humilde de 4 irmãos, três deficientes, dois deles sem os membros superiores.
Cedo acompanhava a mãe às feiras, onde o sentava sobre uma esteira e lá se entretia a comer tremoços com os pés.
Aos 9 anos entrou para a escola, onde só aí notou a sua deficiência, enquanto os seus colegas estavam sentados nas cadeiras ele ficava junto da lareira onde escrevia no chão com o pé esquerdo.
Na 3ª classe fez o exame de admissão á escola Industrial onde passou com distinção, foi quando chamou a atenção sobre si dos júris, foi convidado a ir para Lisboa para aperfeiçoar a sua técnica no desenho.
Em 1960 foi para Lisboa ter aulas com o professor Eduardo Lopes no desenho e pintura e com o professor Domingos Rebelo na figura.
Em 1965 casou teve uma filha e mais tarde 2 netos.
Depressa ingressou na escola de Belas Artes e entrou na Vereinigung Der Mund – Und Fussmalenden Kunstler –Eu- Liechtenstein- Suiça.
Para onde enviava as suas pintura, que por sua vez eram reproduzidas em postais e calendários em todo Mundo.
Em Portugal temos uma representante dessa casa nas Caldas da Rainha – Associação de deficientes manuais.
Ao longo da sua curta vida fez várias exposições tanto a nível Nacional como a nível mundial, ganhou várias menções honrosas como 1º prémios.
Foi convidado a ser membro associativo em Liechteinstein – Suiça até falecer a 15 de Maio de 2002.

Testemunho de um amigo

Foi durante vários anos dirigente associativo, nomeadamente como director de campo do Sport Lisboa e Benfica do Ribatejo
Dirigente da Associação de Socorros Mútuos de Benfica do Ribatejo, antes designada Associação Humanitária Benfiquense
Foi Vogal da Assembleia de Freguesia de Benfica do Ribatejo, no mandato 1983/1986, fez parte da comissão de honra de recepção ao Sr. Presidente da República Ramalho Eanes e esposa Manuela Eanes aquando da visita destes ao Concelho de Almeirim.
Pintou vários Cenários de fundo de palco para a Associação de Socorros Mútuos Anteriormente designada por Associação Humanitária Benfiquense.
Pessoa humilde, com um coração enorme, fazia com os pés o que muita gente não conseguia fazer com as mãos, tinha uma caligrafia extraordinária.
Uma das coisas que mais me impressionou (o primeiro contacto)…  ao principio muito reservado, mas a pouco e pouco foi crescendo uma grande amizade e eu tive o privilégio de o ver fazer coisas que acho muito poucas, foram as pessoas o tiveram, mas como dizia a primeira coisa que para mim foi impressionante que o vi fazer foi tirar um disco da capa, e colocá-lo no gira discos a tocar, isto com os pés, depois era um amante da pesca, na altura não havia muito dinheiro para comprar bóias então ele fazia bóias de cortiça com uma perfeição como se fosse torneadas à máquina, depois a pintura dos cenários em que eu era um dos seus ajudantes pois ele não gostava que mais ninguém estivesse por perto, montar uma antena de televisão em pleno telhado,  outro trabalho impressionante, sozinhos os dois marcámos muita vez o campo de Futebol para a realização dos jogos, ele esticava a corda sempre sem uma falha e eu espalhava a cal, conduzia com uma perícia como muito poucos, conheci-lhe um Fiat 104, um Renault 4L 1 Toyota, um Mitsubishi, para ele era como andar a pé,adorava conduzir, muita vez fui pendura e nunca tive o mais pequeno receio de andar com ele.
Fomos ver muitos jogos ao antigo Estádio da Luz, era um grande benfiquista e acima de tudo
Era um grande amigo

Obrigado Zé por teres sido meu amigo!